História Associativa
Os antecedentes da Associação Distrital de Judo do Algarve

Existindo já vários polos de prática de judo no Algarve na década de 70, em 1976, foi criada a Pró-Associação de Judo do Algarve, uma entidade distrital oficiosa que antecedeu a constituição formal da ADJA. Constituiram esta entidade o Racal Clube de Silves, representado por Vítor Correia, o Clube Naval de Faro, representado por José Mota Soares, e o Faro e Benfica, representado por António Leote Menau. Presidiu a esta entidade o então Comandante da Marinha, Carlos Alberto Barata dos Santos.

Esta entidade permitiu a participação de atletas algarvios nos campeonatos nacionais então organizados. Nesta época, destacam-se as primeiras classificações algarvias, designadamente de Vice-Campeão Nacional de Seniores de António Leote Menau, em -60kg, em 1976 e 1977, e de Vice-Campeão Nacional de Juniores de João Carrasquinho, em -65kg, em 1977. Estavam então federados cerca de 500 praticantes Algarvios.

A Constituição da AJDA

A Associação Distrital de Judo do Algarve foi constituída no Cartório Notarial de Lagoa, em 14/08/1979, pelo Racal Clube de Silves, representado por Vítor Correia, pelo Clube Desportivo Recreativo Quarteirense, representado por Leote Menau, e pelo Clube Futebol Esperanças de Lagos, representado por António Alfarroba. A Associação teve inicialmente sede em Silves. É uma associação privada sem fins lucrativos, inscrita na Federação Portuguesa de Judo, exercendo funções de divulgação e promoção do Judo no Algarve.

Presidiu a esta entidade nos seus primeiros anos, entre 1979 a 1984, Reinaldo Francisco Rodrigues, de Lagoa. Foram realizados alguns torneios de nível associativo e feitas algumas participações em torneios em Espanha.

O desenvolvimento do Judo Algarvio ocorreu, neste período pós 25 de abril de 1974, através do lema do desporto para todos e pelas mãos de Américo Solipa, onde a Direção Geral dos Desportos forneceu tatamis e fatos de judo para o desenvolvimento da modalidade. Esta iniciativa deveu-se a um plano da F.P.Judo, pela pessoa do então Presidente Engenheiro Hugo d’Assunção.

O Desenvolvimento da ADJA após 1984

Em 1984, com a chegada de Fausto Martins de Carvalho ao Algarve, assumindo o papel de Presidente da ADJA, a Associação inicia um novo impulso. Em 1985, no Torneio Kiyoshi Kobayashi, Edite José, do JCA, classifica-se em 3.º lugar, nos -48kg femininos. Arbitraram nesta época, nas provas nacionais, em representação da Associação do Algarve, Fausto Carvalho e António Leote Menau. Neste ano, fora, formalmente revalidados 164 atletas e cinco clubes: a Associação de Amigos de Lagoa (AAAL), o Centro de Judo dos Bombeiros Voluntários de Silves, o Clube Náutico do Guadiana (CNG) e o Judo Clube do Algarve (JCA), constituído em 1985/03/14, por Fausto Martins de Carvalho, José Vítor Costa, António Leote Menau e Tibério Pinto.

Em 1987, a Associação contava com 294 atletas federados e sete clubes: JCA, Judo Ginásio de Portimão, AAL, CNG, Clube Desportivo e Recreativo de Quarteira, Ginásio clube Olhanense e Sport Lisboa e Fuzeta. Entretanto, outros árbitros foram formados, como Luís Justo, Sofia Henriques, Eduardo Galeão e João Carrasquinho.

No ano seguinte, surgem ilustres promessas do judo nacional. Com efeito, em 1988, e em representação do JCA, Sandra Godinho sagra-se campeã nacional de juvenis II, em +66kg, e César Nicola, 3º classificado na categoria de -45kg. Em 1988/09/28 é constituído o Judo Clube de Portimão (JCPt), por Constantino Almeida, Eduardo Galeão, João Carrasquinho, entre outros.

Já em 1989, Sandra Godinho é campeã nacional de juniores, em -66kg, 2ª classificada no campeonato nacional de seniores na mesma categoria, 3ª no campeonato nacional absoluto e 5ª classificada no Campeonato do Mundo de Juniores. Eduardo Galeão passa a arbitrar pelo Algarve nos campeonatos nacionais.

A Década de 90

Em 1990, o JCPt obtém duas classificações no Campeonato Nacional de Seniores: Laura Sobral foi 3.º lugar, em -52kg; Sérgia Fonseca foi 3.º lugar, em -61kg. Sandra Godinho, pelo JCA, é mais uma vez campeã nacional de juniores, na categoria de +66kg. Nesse mesmo ano, a atleta participou no Campeonato da Europa de Juniores, em Ankara, Turquia.

Em 1992, Sandra Godinho é a primeira judoca Algarvia a participar nos Jogos Olímpicos, em Barcelona, na categoria de -72kg.

Nesta década, designadamente em 1992, 1993 e 1994, são realizados vários estágios nacionais de competição, em Tavira. Em 1993, entre as cidades de Tavira e Évora, a FPJ organizou um curso de monitores, onde participam vários treinadores Algarvios.

Com o treinador Júlio Marcelino já no Algarve, no JCA, simultaneamente Diretor Técnico Distrital, em 1994, Catarina Caetano é 3ª classificada no Campeonato nacional de Juvenis II, categoria de -52kg. Em -44kg, Marta Paixão, orientada por Jorge Sanina Marques, em representação do Lusitano F.C. é 2ª classificada.

Em 08/05/1994, é realizado o campeonato nacional de esperanças, em Portimão, classificando-se Eurico Ramos, do JCA, em 3.º lugar, em -65kg.

Já em 25 e 26/10/1997, realiza-se em Portimão o Campeonato da União Europeia, evento que juntou centenas de praticantes europeus no Algarve. Catarina Caetano, nos -52kg, obtém o 2º lugar na prova.

Em 1998, Catarina Caetano, do JCA, obtém o 3º lugar no campeonato nacional de seniores, em -52kg. A ADJA apresentava então sete clubes revaliados, com 306 atletas. A mesma atleta participa em vários eventos internacionais, tais como o Torneio de Arlon, o Torneio de Barcelona e Birmingham. Fazem parte dos órgãos sociais desta época Armando Lopes, como Presidente da Mesa da A.G. e João Carrasquinho, como Presidente da Direção.

De 2000 a 2017

Em 2002, constaram como membros dos órgãos sociais Carlos Andrade, Presidente da M.A.G., Francisco Maurício, como Presidente da Direção, Tibério Pinto, como Presidente do Conselho Disciplinar. Esta estrutura manteve-se no essencial nos anos seguintes, apenas com a eleição de Júlio Cachola como Presidente da Direção, em 2005.

Ana Cachola, pelo JCA, treinada por Júlio Marcelino, é várias vezes campeã nacional de esperanças, juniores e seniores, entre 2002 e 2011; é Campeã da Europa Sub 23, em Ljubljana, -63Kg, em 2004; Campeã da Europa Juniores, em Zagreb, na mesma categoria, em 2005; é Campeã da Europa Sub 23, -70kg, em Moscovo, em 2006; obtém ainda o bronze em 2007, nas Universíadas de Belgrado, -63kg, em 2009. Marta Cachola é Bronze no Festival Olímpico da UE, -57kg, em Zagreb, em 2007. Neste período, destacam-se ainda vários atletas do Judo Clube do Algarve nos campeonatos nacionais, como Ivo Maurício, Rita Maurício, Ana Andrade e Miguel Andrade.

Joana Santos, também treinada por Júlio Marcelino, é Bicampeã do Mundo para “Surdos", -63kg e Open, em França, em 2008; é Campeã Surdolímpicos nos -63kg, em Taipé, em 2009; é Campeã do Mundo para “Surdos“, na Venezuela, na categoria open, em 2012; é Vice-campeã Surdolímpicos, na categoria -63kg, em Sofia, em 2013; Bicampeã Mundo “Surdos” em Samsun, -63Kg e Op, e é 3º lugar em Kata, em 2017; no mesmo ano e nos -63kg, foi bronze nos Surdolímpicos, também em Samsun. Em 2019, na Bélgica, foi bronze no Campeonato da Europa para Surdos.

Em 2008, no Campeonato Nacional de Esperanças, Gonçalo Mansinho, em -46kg, e João Cassiano, em -50kg, são campeões nacionais. Tiago Lopes, em -66kg, e Leandra Freitas, -48kg, ambos pelo JCA, sagram-se campeões nacionais de seniores. Em 2009, realiza-se mais um campeonato nacional de esperanças em Portimão, com bons resultados para os atletas algarvios.

Em 2010, o JCA, torna-se campeão nacional de equipas seniores femininas, sob o comando de Júlio Marcelino.

Em 2011 e 2012, Carlos Andrade, ex-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da ADJA, tornar-se Presidente da FPJ. Entre 2006 e 2017, António Alves foi o árbitro do Algarve da ADJA nos nacionais, e em 2013, em Praga, República Checa, torna-se o primeiro árbitro revalidado pelo Algarve a obter a licença de árbitro Internacional B.

Em 2016 e 2017, realizou-se em Faro o Estágio e Campeonato Nacional de Katas. Nestes campeonatos, como entre 2006 e 2017, a dupla constituída pelo Algarvio César Nicola e António André Alves, a representar o J.S.Campinense sagram-se várias vezes campeões nacionais, em várias Kata.

2017 em diante

Em 2017, entram em funções novos órgãos sociais, designadamente com Gustavo Guerreiro como Presidente da Assembleia Geral, António André Alves como Presidente da Direção e Presidente António Leote Menau como Presidente do conselho Fiscal. Nesse ano, foi realizado pela ADJA o primeiro curso de treinadores de judo de grau I da sua história, de acordo com o preconizado pelo Plano Nacional de Formação de Treinadores. Em 5/10/2018 realiza-se a 1ª Assembleia Geral da FPJ no Algarve, em Faro.

Em 09/02/2019 realizou-se mais um Campeonato A.S. Nacional Cadetes, em Portimão. Iniciou-se ainda o primeiro curso de treinadores de Judo de Grau II da história da ADJA.

No final de 2019 a ADJA atingia um máximo histórico de 915 federados, 31 treinadores, 49 árbitros e 15 clubes: Acadademia Artes Marciais Guadiana, em V.R.S.António, com Jorge Sanina Marques; Academia de Judo de Faro, em Faro, com Tiago Lopes; Academia de Judo de Quarteira, em Quarteira, com António Leote Menau; Ass. Cultural Desp. de Ferragudo, em Ferragudo, com Carlos Santos; Casa do Povo S.B.Messines, em Messines, com Cristian Bernal; Clube de Artes Marciais de Altura, em Altura, com Reinaldo Aquilino; C.D.Areias de S.João, em Albufeira, com Dinis R. Pinto; Clube Recreativo Alturense, em Altura, com Edgar Pádua e António Alves; Judo Clube de Albufeira, em Albufeira, e Judo Clube de Lagos, em Lagos, ambos com Rosário Luwawa; Judo Clube de Lagoa, em Lagoa, com João Carrasquinho; Judo Clube de Portimão, em Portimão, com Delfim Martins; Judo Clube do Algarve, em Faro, com Júlio Marcelino; Juventude Sport Campinense, em Loulé, com Cristian Bernal e António Alves; Unbreakable Force A. D. Cultural, em Alvor, com Cristian Bernal.

Associação Distrital de Judo do Algarve
Apartado 483, ECFaro
8000-909 FARO
patrocinador
logotipologotipo